Jardim Vertical: Floreira para Varanda

Passei meu recesso de julho do jeito que eu mais gosto: curtindo um inverno de verdade. Fui conhecer a Serra Gaúcha, coisa que sempre quis fazer, e visitei algumas vinícolas, comi fondue e chocolate artesanal, conheci museus. Fiquei hospedado em Gramado e, talvez o que tenha me chamado mais atenção na cidade, foi o fato de que ela parece um grande, enorme jardim à céu aberto: em cada canto que você olha, é possível notar que há um enorme cuidado com paisagismo, e o mesmo é integralmente preservado pelos moradores.

Sim, é uma cidade turística; mas não falo somente de praças, jardins e bosques: falo também de ruas, de esquinas; da frente de lojas, de sacadas; enfim, de pequenos detalhes que enriquecem a experiência como um todo. Aqui vão algumas fotos que tirei durante a viagem, de coisas que me inspiraram…

cerejeira gramado RS

jardins de gramado

le jardin gramado RS

carrinho de mão com flores

E esses são apenas alguns dos belos detalhes que encontrei nessa cidade realmente encantadora! Mas a razão pela qual falo dessa experiência é porque há muito tempo venho tentando integrar alguma espécie de jardim ao meu apartamento. Só que, dispondo de tão pouco espaço, sabemos que é um pouco complicado. Acabei deixando a ideia engavetada… até viajar para Gramado.

Gramado me contagiou com seu inverno vibrante – cheio de cores e flores e beleza em meio a um frio cortante que chegou a -1°C (então imagina como deve ser na primavera!!). Saí de Gramado, mas quis trazer um pouco de Gramado comigo, um pouco da ‘filosofia’, estética do lugar. Precisava de algo vivo e vibrante no meu apartamento, e era pra ontem.

Então comecei a checar minhas possibilidades, e cheguei a conclusão que na minha mini-varanda, onde já há uma mesinha alta e duas banquetas, a única forma de abrigar um ‘mini-jardim’ seria verticalmente.

Vi algumas possibilidades, na internet, como estas:

vasos como jardim vertical

jardim de inverno em casa

JARDIM na grade

E aí fui atrás de algo que juntasse o que gostei de cada uma dessas ideias: algum tipo de painel de madeira ou floreira, como fundo; e algo um pouco mais ordenado, com vasos e/ou cachepôs como nas fotos 1 e 3. Foi assim que cheguei na floreira de madeira da Entalharte, que comprei através do site Cedro Rosa (recomendo; atendimento atencioso e entrega rápida).  Comprei duas floreiras, pois queria preencher toda a parede da varanda e formar uma espécie de painel.

Vamos ver como ficou:

floreira varanda entalharte

Como fiquei feliz em ver esse monte de verde, cor e vida na varanda! Gostei muito de como ficou, deu outro ar para a varanda, sem falar que não ocupa espaço nenhum! Logo depois que as floreiras estavam montadas, fui atrás de alguns vasinhos de plantas e flores para colocar nos cachepôs… primeira vez fazendo isso! Achei divertido! Deu vontade de comprar tudo. A propósito, cada floreira vem com 3 cachepôs:

cachepos de madeira entalharte

E aí você decide em que posição irá colocá-los no painel. Para dentro dos cachepôs, procurei ser variado, trazendo lavanda (influência direta do Le Jardin de Gramado), pé de pimenta e alecrim, kalanchoe, aspargo-pluma e outros, priorizando aquelas que me disseram durar mais.

(ATUALIZADO) E essa é uma foto completa com a disposição nova da varanda, com a mesa e as banquetas novas num mesmo cantinho. Mais sobre o assunto aqui.

 varanda pequena decorada

E se alguém aí entende de plantas, por favor, pooodem me dar dicas dos tipos que vocês recomendam, ok? Como cuidar, como podar… sou todo ‘ouvidos’! Vou precisar!

Bem, por enquanto é isso querid@s, tô feliz de finalmente ter meu jardim vertical e um pouco a mais de vida no apê. Que acharam?

Abraços e até breve!

Thiago S.

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

Belas praticidades para o dia-a-dia: sapateira, capacho, toalha de mesa etc.

Dando uma folga na série de avaliações sobre as compras que já fiz para o apartamento, hoje o assunto é bem mais light (até no bolso: tudo que vou mostrar nesse post custou entre R$20 e R$50!). Quero compartilhar algumas coisinhas pequenas que ajudam *e muito* na organização diária, mas que às vezes nós vamos deixando de lado. Eu mesmo só agora fui atrás delas.

Tipo quando você chega em casa, tira logo os sapatos e os mesmos ficam ali, perto da porta. E quando você vê, tem 6 pares de sapato amontoados no mesmo lugar. Um horror. Sim, eu sei, todos nós somos culpados desse crime…

Como tenho muitos sapatos e tênis (falta espaço pra guardar no armário), não tenho espaço para aquelas sapateiras grandes (algumas até muito bonitas, com grandes portas espelhadas, etc.) e obviamente não posso deixar do lado de fora de “casa” como muita gente faz, acabava que às vezes aparecia sapato em lugares bastante inusitados. Tipo debaixo do armário da cozinha? Deixa quieto… Mas enfim, um belo dia, enquanto andava sem compromisso pela ETNA, vi uma sapateira de madeira muito simpática, bem diferente daquelas outras que descrevi acima.

sapateira pequena madeira

Claro que era exatamente o que eu precisava! Ela não pesa no ambiente (vazada, apenas 30cm de altura, e até combina com o piso rs), e é perfeita para ficar ao lado da porta, pois assim que chegamos já colocamos o sapato ali. Mesmo quando tem vários sapatos nela, não fica aquele ar de “bagunça”, sabe? Foi um achado. E o melhor: R$19,90 na Liquidação da Etna!

Tem uma outra versão com 3 andares, mas aí acho que já pesa mais, especialmente se é algo para ficar à vista.

Nesse mesmo dia pela ETNA, aproveitei também para levar um capacho decente para o apê. O antigo já estava meio sujinho e não me dizia muita coisa. E como o capacho é a primeira coisa que suas visitas vão olhar (enquanto você não abre a porta), vale a pena investir um pouquinho.

capacho folhas porta

Esse aí custou apenas R$29, e tem outros modelos na mesma faixa de preço na loja, como esses aqui:

modelos capachos porta

Com certeza valorizam a entrada.

Uma outra coisa boba que comprei, mas que tem feito uma diferença grande no “senso de organização” do apartamento é… o porta controle remoto! Se eles não ficam no lugar, vocês sabem, eles tendem a sumir o tempo inteiro, sem falar que sempre espalhados pelo sofá, não dá um visual lá tão elegante. Aí quando eu vi esse simples porta controle estilo Hollywood-vintage (por apenas R$19!), não pensei duas vezes.

porta controle remoto vintage hollywood

E finalmente, outra coisa que, descobri na prática, que não dá pra ficar sem é uma boa toalha de mesa. Eu amo minha mesa de jantar, acho ela linda, e achava um desperdício a cobrir quando tinha que receber convidados aqui. Então passei um bom tempo sem toalha de mesa, mas a verdade é que a superfície de vidro está sujeita a pequenos arranhões com o simples deslocar de um descanso de panela ou uma jarra de vidro. Isso não é algo que queremos, certo? E então lá fui eu procurar uma toalha de mesa que fugisse do tradicional xadrez (fora café da manhã, não dá né?), e que eu me sentisse confortável pra dia de festa.

E foi aí que encontrei, na ZELO, uma toalha de mesa do Alexandre Herchcovitch perfeita!

toalha mesa floral alexandre herchcovitch

Olha, se eu tivesse que desenhar uma toalha pensando no que funcionaria para o meu apartamento, não teria desenhado nada diferente, seja quanto à cor ou padronagem. Essa é um floral, mas tem outras da coleção que também são muito elegante.

Resultado final:

toalha alexandre herchcovitch jantar íntimo

Dia de jantar para amigos próximos, com a mesa devidamente coberta, protegida, mas a sala igualmente bonita. :)

Agora sim!

Bem, querid@s, acredito que é isso por enquanto. Espero que alguma coisa possa lhes ser útil. Vou curtir agora meu mereciiiido recesso de julho! Nos vemos em breve, escrevam-me se tiverem alguma dúvida, e podem também me seguir no Instagram (@thisardenberg).

Grande abraço,

Thiago S.

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

Adesivos na decoração

Enquanto me preparava para entrar no apartamento, antes ainda da entrega das chaves, costumava salvar no computador fotos de ambientes que me chamavam a atenção, para usar posteriormente como pontos de partida e inspiração. Entre essas fotos, muitas foram salvas devido a presença de um item bastante específico: um belo adesivo decorativo que, bem posicionado na parede ou na mobília, fazia toda a diferença. Por algum motivo, entretanto, terminei sem um adesivo sequer no apartamento. Foram surgindo outras ideias, outras alternativas e os adesivos acabaram ficando de lado.

Isso até ler o comentário de uma leitora aqui no blog, num post recente que publiquei sobre os módulos acima do rack, dando uma sugestão super legal que resolvi pôr em prática!

Mas antes de mostrar o comentário (e os adesivos, claro!), vou antes compartilhar com vocês algumas daquelas imagens que havia guardado, quem sabe elas também não vão dar umas ideias para vocês?

Então, acredito que entre os adesivos mais populares, estejam aqueles com temas florais. Há uma infinidade de modelos que dão um ar de tranquilidade ao ambiente. Um dos meus favoritos é esse:

adesivo arvore grande

O uso do adesivo mudou completamente o ‘feel’ do ambiente. Como esse em especial era bem alto, optaram por subir com ele pelo teto, o que criou um efeito bastante peculiar. Notem também que a escada, posicionada daquela maneira específica, dá a impressão de que a árvore é ainda mais real. Nunca encontrei adesivo parecido para vender, mas é interessante observar esse tipo de imagem para ter ideias de formas inusitadas de usar esses itens.

Mais tradicionalmente, encontramos árvores e galhos desse tipo–

adesivo-folhas

… que também são bem bonitos. Você pode brincar com a disposição das folhas, colando-as de forma a parecer que está ventando, por exemplo, ou, como no caso dos donos do quarto de casal acima, como se as folhas tivessem caído e se acumulado logo em cima da cabeceira da cama. Simples e elegante.

Um outro uso de adesivos com árvores bastante interessante é esse:

adesivo-prateleira

Faz parte de um grupo de adesivos que fazem vezes de mobília, trazendo descontração para os cômodos. Nesse caso é como se as prateleiras estivessem presas aos galhos das árvores. Outro exemplo no mesmo estilo:

adesivo-arabesco

Há outros adesivos que funcionam quase como papéis de parede, com a diferença que são um pouco mais personalizáveis, como por exemplo, esses de círculos.

adesivo-circulos

Legal, né?

Mas então, como disse antes, acabou que apesar das infinitas possibilidades de adesivos decorativos, acabei sem nenhum aqui em casa. Até que li o comentário da leitora Daniela:

“Oi Thiago,

Já pensou em colar adesivos nas portas das caixas que colocou sobre o rack da sala? Ficariam como quadros. Tipo um quadro Keep Calm e outro do que vc queira… Ainda estou nessa saga para completar a decoração da minha casa! 

Um abraço!”

Se você costuma ler blogs e revistas de decoração, com certeza já viu alguma referência ao ‘Keep Calm and Carry On’ (e suas infinitas variáveis). Um pouco da história: a mensagem (algo como “Tenha calma e siga em frente”) estampava um cartaz motivacional produzido pelo Reino Unido durante o início da Segunda Guerra Mundial, para ser usado caso os alemães conseguissem invadir a Grã-Bretanha. O cartaz, que não ficou muito conhecido na época, foi redescoberto no século XXI, e tem sido amplamente difundido como item de decoração (seja como quadros, adesivos, canecas, almofadas, tapetes etc.). A seguir alguns exemplos como quadros e adesivos:

KEEP calm quadros adesivos

O legal é que você pode usar tanto a mensagem original quanto criar outras possibilidades que tenham mais a ver com sua personalidade. A última figura dá vários exemplos disso, como “Fique calmo e Coma um Cupcake”, “Fique calmo e Ouça Coldplay”…

Quando li o comentário da leitora, pensei, “claro! Era isso que faltava! Taí meu adesivo!”

Um adesivo desse seria perfeito pois, nessa configuração, seria algo simples, que não interferiria na decoração maior, mas que ao mesmo tempo daria um ‘up’ no ambiente, sem maiores exageros.

E então fui no Mercado Livre atrás do adesivo. Achei, combinei com o vendedor exatamente como queria o adesivo (que cor, quais medidas específicas e o texto que eu queria) e, algumas semanas depois…..

keep calm quadros sala

Eu adorei o resultado! Deu um ar diferenciado à sala, que estava precisando de um toque de cor forte (optei deliberadamente por tons mais neutros, mais clean, que dão um ar mais contemporâneo e também ampliam a sensação de espaço).

Em dos módulos (que agora viraram semi-quadros rs), optei pelo texto “Keep Calm All You Need Is Love” (Tenha Calma, Você Só Precisa de Amor). É uma referência à música dos Beatles (que adoro!)…

beatles-all-you-need-is-love

… mas também é uma filosofia de vida, certo?

adesivo keep calm all you need is love

E então algo que era primariamente funcional ganhou status de artigo decorativo!

Já na segunda caixa, escolhi algo mais divertido, fazendo uma brincadeira com uma das personagens que mais gosto – Carrie Bradshaw, a protagonista do livro, da série e dos filmes Sex and The City.

carrie-bradshaw opening

Joguinho simples de palavras – Substituo o original “Keep Calm and CARRY–” pelo “Keep Calm and CARRIE–”. Voilà!

keep calm carrie bradshaw

E aí pronto: dois adesivos depois… e o ambiente já ganhou cara nova. Fica aí a dica! Inspirem-se! Vocês vão se divertir escolhendo!

Abraços e até a próxima!

Thiago S.

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

A saga continua em 2013

Olá queridos(as) leitores(as)! Como estão?!

2013 chegou e eu espero que vocês tenham tido um excelente início de ano. O meu tem sido bastante movimentado! Como eu disse no meu último post, estava para defender minha dissertação de Mestrado. Defendi, e foi maravilhoso! Agora quem vos fala é um “Mestre” (hahaha)! Obrigado pelos votos de sucesso. Logo depois fui viajar, curtir um descanso finalmente, então dei uma sumida mesmo. Estou de volta.

Esse post é só pra sinalizar que vou ler as mensagens atrasadas e ir respondendo aos poucos. Fiquei feliz em ver que vocês continuaram em peso visitando e participando do blog, temos tido mais de 2.500 visitas por dia, isso é fantástico!!!

Outra coisa: A saga vai continuar. Claro que talvez com uma frequência menor, afinal, o apartamento já está praticamente pronto, mas ainda faltam importantes detalhes que vou revelar em breve. E fora as “surpresas” desagradáveis que temos que lidar…

Uma coisa que pretendo iniciar no blog esse ano, que acredito que vai ser de muita utilidade para todos, vai ser revisitar as minhas escolhas (de piso, de acabamentos, de eletros…) criticamente, dizendo se valeu a pena ou não, se eu faria de novo e por quê. Afinal, só podemos de fato recomendar algo depois de um certo tempo de uso. Isso vai ser interessante!

Então nos vemos em breve… Que venha 2013.

Beijos e abraços,
Thiago S.

Tela com luzes LED

Oi pessoal!!!

Em primeiro lugar, peraí, tô vendo direito?! Esse contador do WordPress tá maluco ou o blog já passou das 100.000 visitas?! Nossa, muito obrigado a todos os leitores e leitoras que acompanham o blog, sejam os que o descobriram agora ou aqueles que já são “de casa”! Sempre fico feliz em ler seus comentários, e em poder de alguma forma ajudar (da mesma forma que outros blogs me ajudaram muito) e dar ideias!

Thank you all! :)

* * *

Bem, vamos então ao assunto do dia?

A parte mais difícil de decorar um ambiente, para mim, é começar. Quando você começa, do zero, é como se você fosse um pintor, encarando uma tela branca: as possibilidades são inúmeras.

Mas uma vez que o pintor inicia seu trabalho, a obra começa a ditar suas próprias necessidades, o que precisa para ficar harmoniosa… E cabe ao pintor segui-las, mas sem deixar de imprimir seu estilo particular à pintura, dando-lhe identidade.

Acredito que decorar seja mais ou menos isso.

Olhando para minha sala e meu corredor, eu vejo um pouco das experiências que tive, e vejo que vários ítens decorativos (os quadros do corredor, a mala decorativa e outras coisas no rack por exemplo) fazem referência à minha paixão por conhecer lugares e culturas diferentes. Sendo assim, pensando no quadro para ficar acima do sofá, uma peça que geralmente tem bastante visibilidade na sala, queria algo que estivesse de acordo com todo o resto, sem parecer mais do mesmo.

Então, visitando uma dessas lojas de decoração fina (que não vendem móveis), encontrei um quadro (na verdade, uma tela) que me chamou a atenção por um motivo muito peculiar

Primeiro vou mostrar a tela, sem o ‘efeito’.

Ok:

É uma tela bonita, com uma paisagem que gosto muito, a ponte do Brooklyn com Nova York no fundo. Tem a ver com todo o resto do apê, mas o que me chamou a atenção MESMO foi isso….:

a tela é toda iluminada por luzes LED!! Ela funciona à pilha, e tem um botão de “liga/desliga”. Achei o efeito muuuito legal, especialmente nesse caso, que segue a iluminação normal da ponte. À noite, a ponte realmente é iluminada assim.

Não tinha visto telas com esse efeito ainda! Essas telas (há outros modelos) são da Trevisan Concept, que tem um site muito legal com muitas novidades. Infelizmente eles só vendem para lojistas, mas várias lojas de decoração trabalham com os produtos deles (Eles até tem uma lista de lojas no site, mas no caso do RJ, nenhuma loja era listada; entretanto, eu mesmo já fui em várias lojas aqui que vendem produtos deles, tipo a Imaginarium, Papel Picado etc.).

Mais uma fotinho do quadro na sala:

O quadro faz sucesso! Eu queria, na verdade, um quadro mesmo com moldura branca, pra ficar um contraste legal com o cinza. Mas não teve jeito, quando vi essa tela, pensei, “não, é isso aí que preciso em cima do meu sofá!”. :)

É isso, pessoal! Gostaram?

XOXO,

Thiago S.

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

Escolhendo o Centro de Mesa: Vaso com Flores

Olá, blogosfera!

Hoje vou mostrar pra vocês como ficou a mesa de jantar com o centro de mesa eleito, mas antes irei mostrar rapidinho algumas outras opções que considerei antes de tomar minha decisão.

Pelo que tenho visto, a opção mais manjada usada é a fruteira. Não quero desmerecê-la, pois vi algumas fruteiras bem bonitas nas minhas andanças por lojas de decoração… Prefiro algo assim:

Linhas um pouco mais retas, que conferem ar mais moderno. Ainda assim, queria fugir um pouco do lugar-comum, então vamos às outras opções.

Temos também aqueles pratos com objetos decorativos. Algo nessas linhas:

Confesso que gostei da ideia em particular, pois essas bolas decorativas remetem diretamente ao pendente que fica em cima da mesa de jantar, tem o mesmo efeito craquelado no vidro.

Outra opção que, na teoria, me agradava, eram os castiçais de cristal. Dá uma olhada…

Minha tia tem esses 2 abaixo na casa dela. Acho muito bonito…

… mas não na mesa de jantar, que não é comprida. Para terem uma ideia, veja como ficou na mesa dela, que é mais ou menos do tamanho da minha.

Me parece que falta algo. Ao mesmo tempo, se complementarmos o espaço do meio com uma fruteira, por exemplo, já fica informação demais, justamente porque não é compridona!

Claro, temos os candelabros também; ao invés de 2 peças, teríamos apenas uma central. Algo assim:

Me agrada mais, mas não consegui achar nenhum que tenha me apaixonado, sabem como é…  A maioria que vi, tive a impressão de que eram ornamentados demais, ficando fora de sintonia com todo o resto do espaço.

Foi então que, numa dessas lojas, vi um maravilhoso arranjo com rosas brancas, que me chamou atenção à ponto de parar pra admirar. A verdade é que não sou fã de flores artificiais, e nem havia considerado esta como uma opção em momento algum. É difícil encontrar flores artificiais que realmente chamem a atenção por sua beleza; na maioria das vezes, só consigo pensar, “que coisa mais fake!”

Não era o caso desse arranjo. As flores e folhas pareciam incrivelmente naturais, e, em conjunto com o vaso de cristal, ficava uma peça realmente bonita de se admirar. O engraçado é que eu fiquei pensando, “ah, mas onde vou colocar isso….”. Nem me toquei que poderia colocar ali mesmo no centro da mesa (que era o que estava ali pesquisando)!!!

Quando me deu o estalo, perguntei para a vendedora o que ela achava da ideia, se achava que ficaria legal. Com o incentivo dela… resolvi que esse seria meu centro de mesa.

É engraçado como suas respostas estão onde menos se espera! Nem havia pensado em flores, em vaso para plantas… Mas agora, faz absoluto sentido que seja esta a peça escolhida, deu muita vida ao lugar, e, como vou mostrar, ainda brincou com o papel de parede.

Vamos primeiro para o detalhe do vaso….

… bem legal, né? O dia que quiser dar uma mudada, posso comprar algumas naturais e colocar ali, em ocasiões especiais…

E as flores em si…

… muito bonitas, né? Vou confessar que não foram baratinhas não, mas acho que o produto final valeu a pena.

E também, como podem ver na próxima foto, as folhas acabaram funcionando quase que como um espelho vivo do papel de parede! Tenho que dizer que isso nem foi planejado, mas que quando percebi isso no apê, fiquei muito satisfeito!

Então, decorar também é isso, ser surpreendido de vez em quando, ter uma opinião que não é inflexível, podendo aceitar que há ideias mais interessantes do que as que você pode ter pensado inicialmente por aí…

Bastar estarmos atentos!

E esse é o centro de mesa! Espero que tenham gostado!

Abraços!

Thiago S.

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

Decorando o Rack: Mini-Bar, TV Ambilight, Livros, Mala decorativa etc.

Oi pessoal!

Hoje vou mostrar para vocês como organizei o Rack da Sala!

Bem, num apartamento com dimensões não tão generosas como o meu, quanto menos móveis, melhor. E eu respeitei a regra firmemente: único móvel da sala de jantar é a mesa, único móvel (fora o sofá) da de estar é o rack. O resultado eu vejo quando todos que entram aqui falam: “nossa, mas é bem espaçoso!”. Realmente menos é mais.

Entretanto, como consequência, os móveis que existem (como o rack) acabam tendo que acumular funções de outros móveis. Afinal, já se foi o tempo em que a maioria das casas e apartamentos tinha espaço para aquela lindíssima cristaleira… ou aquele bar monumental. Na casa de meus pais tinha um bar lindo, e olha que eles nem eram lá tão chegados em uns “bons drink” rs.

Já eu sou. Então minha ideia inicial era comprar um barzinho desses da ETNA ou Tok&Stok:

Acho bem bonitinhos. Mas… por menores que sejam, ainda ocupam espaço precioso. Eu fiz uma escolha: meu sofá, suuuuper confortável e espaçoso, onde cabem 4 pessoas, ocupa exatamente o espaço da parede onde ele fica. Já o rack, sóbrio, baixo e em linhas retas, também faz isso. Por mais satisfeito que esteja com as escolhas, tenho que lidar com o fato de que não há mais espaço para nada ali.

Pensei em transferir para a área de jantar, mas, ainda que haja espaço ali, acho que o espaço não iria “respirar” tão bem. Não queria aquela coisa de “ah, vou chegar um pouquinho pra cá, me apertar um pouquinho ali” na sala.

Resultado: Risca o móvel bar das opções, e vamos pensar num mini-bar sobre o rack!

Como disse, eu gosto das minhas bebidinhas. Então não queria uma bandeja que fosse meramente um enfeite, algo que existe puramente para embelezar. Queria uma bandeja espaçosa, onde eu de fato pudesse acomodar minhas bebidas.

E foi na ETNA mesmo que eu encontrei essa linda bandeja, num material que parece courino, com o mesmo tema de ‘viagens’ que está se tornando recorrente na decoração.

O preço estava bom, o tamanho era ideal, então não pensei duas vezes. Achei minha bandeja. E, finalmente, com as bebidas e copinhos decorativos no lugar, eis meu mini-bar:

Deu pra colocar bastante coisa, né??! São 4 garrafas de Absolut, 2 de licor, 1 de cosmopolitan e 1 coqueteleira, fora o conjunto de copinhos em baixo à esquerda (não são lindos?!?!), o baldinho de gelo, e os copinhos à direita.

Ok! Mini-bar, check!

Agora vamos para o outro lado do rack, onde coloquei os livros de mesa (também conhecidos como coffee table books).

Esses livros geralmente (nem sempre) tem capa dura e edições caprichadas, e contém muitas ilustrações. Isso porque uma visita não vai parar para ler, por exemplo, o primeiro capítulo do seu livro preferido… a ideia é que a pessoa possa abrir numa página qualquer, folhear, e apreciar o trabalho da mesma forma.

Claro, se optar por utilizá-los, use livros cujo assunto lhe interesse bastante, afinal, estará na sua SALA, e todos verão aqueles livros.

No meu caso os eleitos foram “Art: The Definitive Visual Guide“, “New Orleans: Authentic Recipes Celebrating the Foods of the World” e “Fashion Now 2” da Taschen. Todos temas que eu me interesso: arte, culinária e viagens (New Orleans me fascina!), moda.

Vocês podem perceber que logo ali, atrás da Torre Eiffel, tem uma luz avermelhada, certo? A luz não é da Torre, nem de um abajur. Ela vem… da TV!

Trata-se do efeito Ambilight da Philips, conhecem?

Atrás da TV, há dois painéis de luzes LED, que projetam na parede as cores que estão aparecendo na tela. Por exemplo, se está vendo uma partida de futebol, sua parede ficará toda verde…. se está vendo um programa sobre o fundo do mar, sua parede ficará azul. É um movimento dinâmico muito interessante que amplia a imagem da TV.

E, se a TV está desligada, você pode muito bem deixar o Ambilight ligado, fazendo da TV uma espécie de abajur. Vejam num ambiente totalmente escuro como fica:

Você escolhe a cor do Ambilight também. Acho válido! Fica bem bonito.

Certo…. Agora para a parte inferior do rack!

Num dos cantinhos, uma lembrança de viagem:

Aposto que vocês não sabe o que isso era originalmente. Mero enfeite? Não. Talvez a foto a seguir dê uma luzinha….

Repararam que há um buraquinho nesses balões? Pois então… ali é onde você encaixa…. o canudo! Sim, esse balãozinho é vendido na frente do Casino Paris Las Vegas, no bar! Vocês não tem noção da quantidade de Piña Colada frozen que cabe aí dentro! É pra dividir com mais 2 amigos numa boa! Toda a parte de dentro é oca, muita gente acaba usando como potinho para biscoitos etc. Eu resolvi usar como decoração! O balãozinho remete ao próprio cassino:

E, do outro lado do rack, a linda mala que ganhei de presente de uma tia!

Essa mala (de madeira, muito pesada) é só pra decorar mesmo, mas é tão linda que deveriam fazer uma versão “mala de mão” dela! Adorei o padrão dela, que é revestida de couro, e combinou com tudo ali: com o vidro do rack, com a bandeja do mini-bar, até com o chão. E também remete, novamente, à ideia de viagens. Aproveitei para guardar ali dentro justamente os álbuns de fotos!

Sim, porque eu gosto de revelar fotos ainda!!! Estou na minoria, eu sei!, mas para mim não é a mesma coisa ver fotos no PC e ver fotos num álbum legal…. Sempre tive o hábito de revelar e o mantive.

Bem, enfim, é isso! Espero que tenham gostado de como ficou o rack! A palavra de ordem era funcional, mas acredito que consegui deixar bem organizado e bonito também!

Uma foto dele por inteiro para terminar:

Abraços e até breve!

Thiago S.

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

Quadros para o Corredor

Outro dia, passeando por um shopping carioca, me deparei com 3 quadros muito interessantes. Eles faziam parte da mesma série, e cada um ilustrava um ponto de referência de 3 cidades diferentes: A Estátua da Liberdade em NY, o Big Ben em Londres, e o Cristo no Rio.

O que me chamou atenção, entretanto, foi a forma como eles eram apresentados: Víamos apenas a silhueta de cada um, com uma lua impossivelmente grande projetada atrás de cada ponto. Os quadros também faziam um interessante jogo de sombras: As atrações e o fundo pertencem à camadas diferentes do quadro, de forma que a atração projetava uma sombra real no fundo da foto. Muito legal. Os quadros poderiam ser utilizados tanto individualmente quanto juntos.

Parei, achei legal, e prossegui meu caminho. Até então não tinha me atentado para a necessidade de quadros no apê, estava priorizando as coisas maiores. Quando cheguei em casa, naquele dia, lancei um olhar diferente para ele. Só conseguia ver o grande vazio no corredor, e em cima do sofá. Mais nada! Nada de papel de parede ou espelhão ou qualquer outra coisa, só o vazio nas paredes! (meio psicótico, eu sei rs)

Resolvi que voltaria no shopping outro dia para buscar os quadros. Nisso, se foram 2 fins de semana. Claro que, ao voltar no shopping, imaginei, “alguém deve ter comprado”. Sabe como são essas coisas né? Se você não está interessado em algo, pode passar um ano inteiro numa loja que aquilo vai estar lá. No momento que você decide comprar, o negócio é comprado sem previsão de retorno ao estoque.

Não foi exatamente assim com os quadros. Dos 3 que vi, ainda havia dois disponíveis; mas o preço estava mais caro. Mais caro do tipo “comprando esses dois, daria para ter comprado os 3″. Olhei, olhei, olhei. Fui informado que esses eram os últimos e não deveriam receber mais da série. Pensei, saí da loja. Meu impulso inicial era, não vou pagar mesmo! Fiquei um pouco decepcionado pois já tinha em mente os 3. Sem falar no preço! Pagar por algo que você sabe que era mais barato dói! rs

Fui em outra loja de quadros. Mas sabe como é, né, eu sabia muito bem o que queria. Resolvi deixar o orgulho de lado e ir lá buscar o que já era meu. Já tinha deixado os quadros passarem uma vez; se deixasse agora, sempre iria ficar pensando nos “quadros que ficaram para trás!”

Comprei os quadros. Meu corredor é outro… agora tem identidade!

Notem a tal sombra que eu tinha mencionado anteriormente. O fundo fica numa camada diferente do primeiro plano (com o Big Ben), que projeta uma sombra na lua. Agora mais de longe:

… e agora o de New York…

Teria me arrependido muito caso não tivesse os comprado. Gosto de tê-los no corredor não só porque achei-os bonitos, mas também porque amo viajar, e esses quadros me lembram momentos maravilhosos. Acho que qualquer coisa que decidimos ser boa o suficiente para colocarmos na parede de nossas casas deve refletir um pouco do que/como somos e do que gostamos. É como se fosse uma frase impressa na parede, e ela fala um pouco sobre você. Então é bom que você goste (e muito) da ‘frase’. Bem, pelo menos é como eu vejo hahaha :)

Para finalizar, vamos ver uma foto do corredor com os quadrinhos já no lugar!

Moral da história: Passou na loja, se apaixonou perdidamente por algum item qualquer? Compre-o, mesmo que esteja fora de seus planos imediatos. Ainda mais se for algo assim, mais difícil de achar. Pode ser que você não tenha outra oportunidade de ter aquele lindo quadro ou que quer que seja na sua casinha. É isso!

Think about it. XOXO,

Thiago S.

Se você gostou desse post, também vai gostar de:

Persiana Romana na Sala

Acredito em amor à primeira vista.

Estava eu folheando a revista Minha Casa ano passado, como costumo fazer todo mês, quando de repente, ao virar uma página, me deparo com a imagem de uma sala decorada com uma Persiana Romana. Até então, eu nem sabia da existência da mesma, nunca tinha visto persianas naquele estilo. Elas sobem em camadas, podendo ter os mais diversos tipos de materiais (desde aqueles que deixam a luz passar, até os que a bloqueiam completamente) e padronagens.

Mas o que me chamou mesmo a atenção foi o fato de que ela parecia uma espécie de painel decorativo; fora a sua função principal, ela desempenhava incrível função estética. Então, quando chegou a hora de finalmente escolher a persiana/cortina para a sala, eu sabia muito bem o modelo que queria… só faltava escolher o material e a padronagem específica!

Depois de muita indecisão, e de ver aqueles livrinhos de amostras várias e várias vezes, chegamos à essa padronagem:

Ela é translúcida, mas, ainda que permita a entrada da luz, o faz de maneira bastante delicada. Dessa forma, não é preciso que ela esteja levantada o tempo todo quando quisermos que a luz entre, como seria no caso daquelas que levam o blackout por trás.

(Parênteses: Lembram que quando falei do Espelho da Sala de Jantar, comentei que a moldura dele “conversaria” com outro ítem-chave na sala? Pois é! Aqui está ele! Ambos tem os quadradinhos em sua composição. Claaaro que acho difícil que alguém vá perceber isso; mas, bem, EU sei, nós aqui sabemos, e para mim isso é suficiente!)

E pra ser bem sincero, acho que a persiana fica linda mesmo quando se há luz por fora! Vamos ver? Primeiro, o efeito de dia…

… e agora, à noite…

Estou in love! A qualquer hora do dia, a persiana em si tornou-se uma das favoritas na decoração, até quem vem aqui para executar um serviço gosta! Nem dá vontade de deixá-la levantada para ir à varanda… rs. Agora vejam como ela vai levantando em camadas…

… até chegar à última. Gostei muito do resultado! Comprei na Decorarte, mesma loja onde comprei o papel de parede.

Espero que tenham gostado!!!

XOXO,

Thiago

Se você gostou desse post também vai gostar de:

Espelho, espelho meu… existe nesse reino moldura mais bela que a sua?

Enquanto o drama dos móveis planejados continua na mesma enrolação de sempre (Fuuuujam da New!), eu vou colocando aos poucos outras coisas no lugar. Mas só de pensar que ainda vai ter gente cortando madeira aqui (e consequentemente toda aquela poeirada), agora que já comecei com o processo de decoração… me dá arrepios. Mas enfim, vamos deixar pra falar novamente da New Móveis Modulados oportunamente. Até agora essa lojinha só me deu desgosto. Aguardem, pois cenas dos próximos capítulos serão emocionantes.

Deixando esse papo chato para lá,  vamos falar sobre o espelho que coloquei na sala de jantar, algo muito mais interessante. Como disse anteriormente no blog, já vinha pensando nele há muito tempo, uma vez que as possibilidades são inúmeras. Quem estiver interessado em diferentes tipos e usos de espelhos em salas, recomendo dar uma olhada também no post anterior, onde compartilhei algumas ideias.

Deixei para falar no post de hoje sobre os espelhos com molduras, já que escolhi um desses para minha sala de jantar. Há molduras de todos os tipos, estilos, cores, tamanhos, materiais. Escolher não é tarefa fácil.

Vamos então, primeiro, à alguns ambientes legais que encontrei na net que fazem uso do espelho com molduras.

Interessante essa proposta de espelho inclinado na parede; reparem também que a moldura está de acordo com a mobília do ambiente. Não precisa ser exatamente igual (até porque seria difícil encontrar), mas é bom que eles estejam em harmonia.

A não ser, claro, que você, propositalmente, utilize a moldura do espelho para quebrar a monocromia/monotonia do seu ambiente. Imaginem uma moldura dessas num ambiente todo branco, com móveis brancos… ou com uma cor neutra qualquer.

Com certeza valorizaria bastante o ambiente, certo? Então é preciso sempre ter em mente qual o seu propósito: harmonizar ou contrastar.

Temos molduras nos mais diferentes materiais, como essa de pastilhas de chifre (!) da Ambientare…

… ou essa em ferro da Efeitos Brasil…

… ou molduras de madeira como estas.

Em madeira, as opções são muitas!

Esses são apenas alguns exemplos de molduras do Rei dos Quadros, loja onde comprei meu espelho. Todas são bonitas… cabe somente à nós julgar qual cairá como uma luva naquele espaço do nosso ambiente.

Então, depois desse apanhado, sem mais rodeios, vamos ver o espelho/moldura que escolhi, para depois explicar por que escolhi esse modelo em especial!

Está aí o espelhããão! A principal razão pela qual escolhi esse espelho, nesse formato específico, foi para dar a impressão de que ali há uma “janela“, uma abertura para um outro ambiente, entenderam? Se você olha de relance, é essa a impressão que dá!

A posição dele, centralizado na parede e acima da mesa de jantar, é interessante pois acaba valorizando ainda mais o papel de parede, que é expandido (como podem ver na foto), e ganha-se um “novo” ponto de luz, com a duplicação do pendente.

Agora, o detalhe da moldura.


Pensei muito sobre a cor. Na minha mente, tinha 3 possibilidades: branco (combina com os móveis em geral), cinza (combina com as cadeiras da mesa, com 2 paredes, e com alguns detalhes do papel de parede) ou até madeira (combinando com o sofá, e talvez com o piso).

Mas, para dar aquele efeito de janela, a moldura branca funcionava melhor que as outras; sem falar que o branco era a escolha mais natural considerando a mesa que eu tenho. E assim foi, branco.

Depois de escolhida a cor, hora de escolher o tipo de moldura: Lisa, ou trabalhada (naquela foto das molduras há alguns exemplos de molduras brancas que vi). Não queria nada muito extravagante não, mas achei também que uma moldura toda lisa fosse ficar um pouco apagada ali. Então resolvi escolher essa moldura, com vários e vários quadradinhos, todos trabalhados com riscos em alto relevo, mas tudo branco. Ele é diferente; mas não é uma diferença óbvia, que foi feita só para chamar atenção.

Outro fator decisivo para a escolha dessa moldura foi o fato de que ela vai ecoar outro ítem decorativo muito importante que ainda vou colocar na minha sala! Quando pensei nisso, foi negócio fechado. Não vou falar o que é agora (adoro um suspense rs), mas em breve vou explicar direitinho ok?!

Para finalizar, uma foto de como está a sala de jantar com ele!

E aí, gostaram? Eu fiquei super satisfeito com o resultado!!!

Abraços, e até a próxima!

Thiago S.

Estou no Instagram: thisardenberg

 

Se você gostou desse post, recomendo também: